O Novo Homem

"Não tenho medo da morte. Antes tenho medo da minha mente"

domingo, janeiro 29, 2006

Como se sente um Balança


Balança - Sol em queda

O Sol é o planeta que mostra a nossa identidade, e representa a nossa chama interna. Todas as almas são únicas e especiais, pois cada uma percebe o mundo duma maneira diferente e cada uma viverá as suas próprias experiências pessoais. A posição do Sol no nosso mapa mostra onde e como nós nos sentimos especiais, luminosos, vivos, e mostra o que emanamos naturalmente ao mundo.

Em Balança, a alma vai estar focada na harmonia entre todas as coisas que a rodeia, e na harmonia entre si e os outros. É um signo de ar, orientado para a beleza, para as outras pessoas, mais do que para o seu próprio desenvolvimento. Um Sol em Balança está preocupado com as opiniões dos outros sobre si próprio, e isso torna impossível para este signo exprimir-se duma forma livre e confiante, pois tende a deixar as suas ideias para um segundo plano.

Como vivemos num mundo de polaridades, a tarefa de equilibrar tudo e todos é impossível de cumprir. Os Balanças podem sentir, no fim das suas vidas, que se sacrificaram para fazer do mundo um lugar mais pacífico, mas no fim o conflito ainda existe eles acabaram por não viver a sua própria vida, da sua maneira.

Tendo o Sol em Libra, o que me faz sentir mais vibrante e solta é quando aprecio uma obra de arte, quando recebo um grupo de amigos, ou quando vivo a minha vida com sorrisos e sem preocupações como se estivesse algures numa nuvem. Mas torna-se difícil dar as minhas opiniões quando sei que elas irão colidir com as de outros, e sou facilmente sugestionada e moldável, o que leva a que muitas vezes nem saiba qual é a minha própria opinião.

Decidir é uma tarefa difícil quando se considera constantemente todos os prós e os contras de cada acção a tomar, e naturalmente acabarei por deixar que outros decidam por mim. Como tal, o sentimento de importância e confiança atribuído ao Sol está de certa forma atenuado, pois sinto que as minhas opiniões não são ao fim e ao cabo assim tão importantes, desde que todos se sintam felizes.

Costumo por isso dizer que ser Balança seria muito bom no Céu, mas é altamente desgastante na vida diária da Terra.

Mas como para todos os 12 signos do Zodíaco os Balanças têm algo a aprender, e voltarão no fim à Unidade, depois de integradas todas as experiências possíveis nas diferentes encarnações. Os doze signos serão assim doze arquétipos, doze grandes maneiras de ser, que abarcam esta grande experiência que se chama Humanidade.