O Novo Homem

"Não tenho medo da morte. Antes tenho medo da minha mente"

quarta-feira, janeiro 04, 2006

O Eu Que Observa e Ama

O Anjo Solar - Ellis, 2002

Às vezes sinto que o mundo está só na minha cabeça.

De um momento para o outro,

Posso passar da maior felicidade e amor interiores

Para um estado de tristeza e angústia.

Isto é estar vivo e ser um Ser Humano.

É sorrir e a seguir sofrer.

E saber que se vai sorrir outra vez.

Os dias passam cada vez mais velozes,

é de manhã

e logo de seguida anoitece outra vez.

O sentimento de entusiasmo pela chegada do novo dia

não consegue no entanto apagar-se

perante a crescente evidência

que logo esse mesmo dia vai acabar.

E no entanto, eu continuo aqui.

Os dias passam,

passam por mim mas não me levam.

Fico igual, expectante, observadora,

com as minhas respirações, o meu coração a bater,

os meus medos, as minhas alegrias, os meus prazeres.

O espelho teima em dizer-me que hei de ficar velha.

Que estranho!

Sou mesmo eu aquela ali?

Eu não sou assim!

O meu verdadeiro Eu é o que eu sei que sou.

É o que eu me julgo.

E Eu observo aquela assim como observo o mundo.