O Novo Homem

"Não tenho medo da morte. Antes tenho medo da minha mente"

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Se tiverdes extraído o sentido e o ensinamento de uma qualquer experiência,
ela passa, e não cruzará mais em vosso caminho, dessa forma.

Mas se fizerdes resistência e a não quiserdes aceitar, ela voltará de novo
e de novo, à vossa vida.

Força e perserverança são assim, indispensáveis para um aluno da Luz.
Uma prova só dura o tempo que precisa para ser aprendida.

Serephis de Luxor

terça-feira, fevereiro 21, 2006

Descubra a sua religião!

Eis um teste interessante para descobrirmos qual a nossa religião...
A mim deu-me Budismo- algo que eu já sabia! Identifico-me com a filosofia Budista, que o caminho para a luz passa pela purificação dos nossos actos e pensamentos, pela meditação, pelo ouvir o nosso interior mais do que procurar gurus ou fazer rituais sem sentido. Embora não concorde com o facto que os monges budistas são proibidos de tocar em mulheres, e se uma mulher lhes quiser dar um objecto tem de passar pela mão de um homem primeiro. Là voltamos à não aceitação da sexualidade humana!
Todas as religiões quando abarcadas completamente acabam por ser restritivas. E eu acredito na expansão e na liberdade, no usufruir da nossa estadia neste planeta e no espalhar da nossa luz.
Daí ter a minha própria religião, baseada num bocadinho de cada religião mas tendo em conta também o que o meu coração diz.

Para fazer o teste, vá a www.quizfarm.com



You scored as Buddhism. Your beliefs most closely resemble those of Buddhism. Do more research on Buddhism and possibly consider becoming Buddhist, if you are not already.

In Buddhism, there are Four Noble Truths: (1) Life is suffering. (2) All suffering is caused by ignorance of the nature of reality and the craving, attachment, and grasping that result from such ignorance. (3) Suffering can be ended by overcoming ignorance and attachment. (4) The path to the suppression of suffering is the Noble Eightfold Path, which consists of right views, right intention, right speech, right action, right livelihood, right effort, right-mindedness, and right contemplation. These eight are usually divided into three categories that base the Buddhist faith: morality, wisdom, and samadhi, or concentration. In Buddhism, there is no hierarchy, nor caste system; the Buddha taught that one's spiritual worth is not based on birth.


Buddhism

92%

agnosticism

88%

Hinduism

79%

Paganism

75%

Satanism

63%

Christianity

54%

Islam

54%

atheism

29%

Judaism

25%


Which religion is the right one for you? (new version)
created with QuizFarm.com

quarta-feira, fevereiro 15, 2006


Questão: Qual é o significado do ano 2012?

Sri Kalki Bhagavan: OK. A maior parte de vós sabe que a Terra tem um campo magnético. À medida que o núcleo fundido da Terra gira, vai sendo criado um campo magnético. A esfera de pensamento do corpo mental dos humanos está localizada no campo magnético da Terra. Este campo magnético tem vindo a enfraquecer drasticamente nos últimos 10 anos.

Existe na física um parâmetro denominado «Ressonância Schumann». Esse parâmetro permite-nos determinar a força do campo magnético da Terra. Durante muitos séculos, a Ressonância Schumann manteve-se constante a cerca de 7.80 ciclos por segundo. Nos últimos 7 a 8 anos elevou-se a 11 ciclos por segundo e continua a aumentar dramaticamente. Através de cálculos matemáticos estima-se que no ano 2012 a Ressonância Schumann será de 13 ciclos por segundo. Quando esta ressonância atinge os 13 ciclos por segundo, o núcleo da Terra pára o seu movimento rotativo e o campo magnético desaparece, e a sua mente desaparecerá com ele. Quando eu digo «a sua mente», quero dizer os seus «samskaras». A pressão dos últimos 11000 anos de «samskaras» desvanecer-se-á.

No Dharma costumamos dizer que «mente é karma». Todas as acções têm início na sua mente. A mente não é mais do que um «armazém de samskaras» ou «vasanas» de vidas passadas a partir da qual toda a acção emana. E isto é armazenado no campo magnético da Terra. Por isso, no ano 2012 a mente será igual a zero durante alguns dias. Após este acontecimento, o núcleo da Terra recomeçará a rodar. Isto será um novo começo para a humanidade, ou a alvorada da Idade de Ouro. É este o significado do ano 2012.

Como é que sabemos que isto vai acontecer? O estudo dos fósseis tem mostrado que este evento tem acontecido a intervalos de aproximadamente 11000 anos, e a última vez que aconteceu foi há 11000 anos atrás. Falta pouco tempo, e então todos poderemos começar de novo. É por isso que eu vos peço para estarem iluminados quando o ano 2012 chegar. Se estiverem iluminados, livres de todos os samskaras, poderemos iniciar um novo yuga, o qual pode ser chamado Sathya Yuga ou a Idade de Ouro. A humanidade irá entrar num novo estado alterado de consciência.

Tal como já vos disse, a ressonância terrestre está a aumentar, o que significa que o coração da Terra está a sofrer uma transformação. A Terra tem um corpo físico, tal como vocês. E possui uma consciência também. Agora à medida que a ressonância aumenta o coração da Terra passa a funcionar duma forma diferente.O vosso coração e o coração da Terra estão conectados. O coração da Terra pode ser influenciado pelo vosso coração e vice versa. Daí ser essencial que o vosso batimento cardíaco se sincronize com a ressonância da Terra.

Isto significa que o vosso coração tem de florescer. O vosso coração florescerá quando descobrirem o amor nas vossas relações.

Se descobriram o amor, então têm de ter parado de julgar os vossos pais, esposas, etc., internamente. Ninguém pode ser julgado pois todos os eventos são influenciados directamente pelo Universo, até o comportamento das pessoas.

Por isso aprendam a experienciar a vida. A vida é para ser experienciada, seja ela feita de sofrimento ou de alegria.

domingo, fevereiro 12, 2006

O Roubo do Tempo

A flexibilidade do Espaço-Tempo

Nos dias que correm anda muita gente com falta de tempo. Há contas para pagar, amigos para satisfazer, férias para planear, apostas no Euromilhões para fazer, muita conversa para pôr em dia, muita coisa para comprar, muito filme para ver... O curioso disto é que as pessoas que mais se queixam de falta de tempo são precisamente aquelas que mais coisas fazem. A meu ver, essas pessoas esqueceram-se do essencial. Esqueceram-se de parar e perceber o que é o Tempo.

A maioria das pessoas tende a ver o Tempo como uma entidade rígida. Mas na verdade, o Tempo não é rígido. Os Místicos disseram-nos isto durante séculos e o mesmo disse Einstein e o mesmo continua a dizer a moderna física quântica: O TEMPO É UMA ENTIDADE MALEÁVEL. Na verdade, é possível abrandar ou acelerar o Tempo. E é por isso que certos dias parecem passar num flash e outros parecem demorar eternidades. O segredo está em saber abrandar o ritmo da nossa vida. Porque a vagarosidade, ao contrário da preguiça, é uma virtude.

No momento presente, há uma quantidade enorme de Tempo. Quando nos focalizamos no momento do agora, surge-nos uma sensação de intemporalidade que não sei agora descrever. E isto é o que andamos à procura: a intemporalidade.

Muitas vezes damos connosco exaustos, a pensar no que ainda há para fazer. Dizemos então que não há tempo. Que nunca há tempo suficiente. E isto é porque gostamos de fingir que o Tempo não nos pertence, que não é nosso. No entanto, num sentido maior, pode pertencer-nos se essa for a nossa vontade. Muitos de nós dirão agora: “Mas e as responsabilidades? E os compromissos?”. OK, quem acredita que não tem tempo, é isso que experienciará. Disso não tenho dúvidas. A minha visão é que há e sempre haverá boas razões para dizermos que o Tempo não nos pertence. Há e sempre haverá qualquer coisa que temos mesmo de fazer (e geralmente é algo que não é para nós próprios).

O que penso é que temos de fazer de nós próprios a prioridade. Fazer do nosso tempo, O NOSSO TEMPO. Porque na verdade, há uma imensidão de Tempo. Se começarmos a viver intensamente cada situação que está à nossa frente, se pararmos de dizer “melhores tempos virão” e se pararmos de esperar por um melhor amanhã, RECUPERAREMOS O CONTROLO DO NOSSO TEMPO. E nessa altura, o Amor respirará...

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Paradoxos

Alguém perguntou uma vez a Confúcio:
«O que mais o supreende na Humanidade?»
Ele respondeu:
«Os homens que perdem a saúde para juntar dinheiro e depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. Por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem o presente, de tal forma que acabam por nem viver no presente nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido...»