O Novo Homem

"Não tenho medo da morte. Antes tenho medo da minha mente"

domingo, março 12, 2006

o eu e o EU

Candida Maurer: Big self, Little Self

Muita gente parece acreditar que são o que parecem ser. Parece ser mais fácil acreditar que eu sou o Pedro, a Laura, a Joana... que tenho cabelos verdes, cor de rosa, azuis... que sou simpático, entediante, teimoso... que sou invejoso, carinhoso, amigo... do que acreditar que eu sou EU.

Seria interessante saber porque parece ser tão difícil encontrar o nosso EU. O nosso EU verdadeiro. Muitos parecem até perguntar-se "mas o que é isso do nosso EU?". Penso e acredito que nesta pergunta reside a chave de toda a dúvida e do medo. É ao duvidarmos que o nosso EU é real e sobretudo, divino, que surge o maior de todos os medos.

Na verdade, o meu EU é lindo. E o vosso também é. Brilham no alto de uma coluna alta e larga de fogo branco. A sua Luz nunca se apaga e o seu calor morno inunda tudo o que o rodeia. O meu Eu é a fonte espiritual de toda a minha vida e é ele que me permite regressar ao Grande Sol Central. É ele que me permitirá regressar totalmente ao Grande Sol Central. Acontece o mesmo com vocês. E aconteceu o mesmo com Jesus.

Num antigo manuscrito tibetano citado por Nicholas Roerick na sua obra Himalaia, escrita em 1926 diz-se:
"Jesus disse-lhes: «Eu vim paraq demonstrar as possibilidades humanas. O que tem sido criado por mim, todos os homens podem criar. E aquele que eu sou, todos os homens serão.»"

Apetece-me então convidar-me a ser quem Sou. A ser a Presença Divina do meu Ser. Perdoem-me aqueles a quem magoei e compreendam-me aqueles a quem não compreendi. Porque esse não era Eu. Eu... sou apenas Luz.